20 alimentos para ter todo dia na mesa # 32

Enviado por Seed4Life em seg, 10/05/2021 - 09:00
 # 32

Nossos textos neste blog vêm replicando recomendações para que você adote um padrão alimentar saudável, com maiores porções de vegetais, menores de proteínas animais, e sem produtos muito processados que ficam pobres em nutrientes e ricos em calorias vazias e aditivos químicos. São recomendações de pesquisadores, academias médicas, entidades internacionais preocupadas com os efeitos do padrão alimentar nas pessoas (crescimento da obesidade, doenças crônicas, câncer, processos inflamatórios crônicos etc.), por estarem preocupados com a sustentabilidade dos sistemas de saúde e do meio ambiente. 

O tratamento de pessoas com doenças crônicas tem um custo per capita bem mais alto do que aqueles que não têm. Portanto, o crescimento da obesidade e de suas consequências, eleva as despesas dos sistemas de saúde em linha com o aumento do percentual de pessoas com essas comorbidades, ameaçando sua sustentabilidade econômico-financeira. A ciência também nos mostra que a produção de proteína animal tem grande responsabilidade nas emissões de gases de efeito estufa, que aquecem o planeta e podem vir a desestabilizar a vida nele.

A migração para um estilo alimentar mais baseado em plantas e menos em proteínas animais é capaz de sustar essa tendência mundial de aumento da obesidade e das doenças crônicas além de contribuir de maneira significativa para a redução das emissões e do aumento de temperatura na superfície do globo.

Mas como se comporia uma alimentação baseada em plantas? Teria a diversidade suficiente? Seria capaz de suprir todos os nutrientes de que nosso corpo precisa? Poderia ter sabor e paladar comparáveis ou mesmo melhores do que os padrões alimentares com altas quantidades de proteína animal?

O que vem sendo recomendado não é uma “dieta”. Até porque a palavra dieta carrega consigo a mensagem de privação e por isso as dietas são passageiras, duram apenas dias, semanas ou meses, ao passo que a recomendação é para que você adote uma nova forma permanente de alimentação, um novo padrão para toda sua vida. E, vejam, esse padrão serve a muitas vidas. 

Note você que não se trata de uma recomendação radical: o que se recomenda é a progressiva substituição das carnes vermelhas, laticínios, açúcares, alimentos ultraprocessados, embutidos e enlatados, por alimentos baseados em plantas, orgânicos, da estação, frescos, colhidos perto do local de consumo, preparados sem que percam sabor nem seu conteúdo nutritivo.

A alimentação baseada em plantas pode ser saborosa, acessível e nutritiva. Não é uma alimentação somente para quem está doente. É para todos, para quem está saudável e para quem quer continuar saudável. É uma alimentação gourmet, agradável, saborosa, prática, que você pode manter no seu cotidiano.
As dúvidas acima precisam ser esclarecidas pois são pertinentes. Mas fique tranquilo, os nutricionistas mostram que todos os nutrientes que precisamos podem ser encontrados nas plantas. A diversidade vegetal comestível não deixa nada a desejar em relação à correspondente animal. Os pratos podem ter sabores mais variados e mais agradáveis ao paladar, dependendo da combinação balanceada dos seis sabores fundamentais. O poder nutritivo depende da combinação dos alimentos e das formas de preparo, pois o cozimento em altas temperaturas o reduz.
Já sabemos o que as entidades promotoras de hábitos saudáveis recomentam como composição dos pratos diários. A seguir, você tem a lista dos 20 alimentos que não podem faltar no dia a dia de sua mesa de refeições: maçã, cenoura, cúrcuma, gengibre, crucíferas, couve flor, brócolis, repolho, couve, folhas verdes levemente amargas, folhas e temperos não convencionais e selvagens chamadas puncs, folhas, como protetores contra o câncer, sementes germinadas de girassol, brotos de girassol, de alfafa, gergelim, alpiste, alho, cebola e os afins, castanhas, cogumelos orientais e de floresta, graviola, frutas vermelhas convencionais e silvestres, brotos de alfafa, trevo, brócolis, girassol, o cacau, as algas, o limão, a soja orgânica e a grama do trigo, olha, uma lista bem boa.
Relacionamos a seguir os fito químicos ou as substâncias contidas nesses alimentos que têm atividade anticâncer. Vamos mostrar quais as formas de utilização para que você possa tê-los diariamente na sua mesa.
Segundo a epigenética – um novo campo da ciência que estuda a expressão gênica –, mesmo que um indivíduo herde gene que o exponha ao risco de um determinado tipo de câncer, essa predisposição pode ser alterada por meio de uma mudança na dieta. 


Uma nutrição baseada em vegetais é capaz de remover do DNA as metilações e as acetilações das histonas, suscetíveis de bloquear a expressão das instruções nucleicas e sua leitura pelos ribossomos – desculpem a linguagem técnica. 
Assim, podem-se mitigar as manifestações genéticas responsáveis pelo crescimento tumoral. A dieta nociva composta de açúcar e amido em excesso, laticínios, produtos derivados de aves, carne embutida suína e carnes vermelhas, leva a uma maior concentração de ácidos no corpo. A redução do pH, ou a acidose tecidual, está relacionada à disfunção da célula e à apoptose (morte celular). Nossas células e, especificamente, nosso DNA funcionam apropriadamente em um pH neutro. Toda a acidez acumulada nos tecidos sobrecarrega os rins, que são forçados a eliminá-la. Quando as funções renal e respiratória não se mostram suficientes para isso, são recrutados outros órgãos, que não são tradicionalmente eliminadores de ácidos. Assim, a pele, os pulmões, os intestinos e o estômago assumem a função de eliminar o próton de hidrogênio excedente. As consequências clínicas são psoríases, asma, colite e gastrite. A sobrecarga ácida também influencia negativamente o fluido nuclear, a função nucleica e o DNA. A célula neoplásica encontra condições ideais de desenvolvimento em ambiente ácido.

Restabelecer as condições de equilíbrio ácido-base tecidual é de fundamental importância na redução do crescimento de células tumorais. Uma alimentação baseada em vegetais, com alta concentração de clorofila, fornece uma grande quantidade de tampões alcalinos, como o magnésio, o átomo central do sangue verde dos vegetais e nossa maior fonte de alcalinidade. Além dos sais de magnésio, os vegetais oferecem uma infinita gama de fito químicos alcalinizantes e enzimas.

A água alcalina de verdade é aquela que mora dentro da maçã, do coco, das frutas cítricas, das hortaliças frescas, dos brotos, das dietas livres de carnes e laticínios.
Água ácida é aquela que está no sangue degenerado dentro das carnes, nos leites conservados e pasteurizados e em alimentos preparados em forno de micro-ondas. Pior ainda, alimentos ácidos que nem água têm e se diluem nas águas corporais, acidificando-as: chocolates, doces, bebidas alcoólicas, bolos, bolachas, salgados, frituras, carnes e carnes conservadas e embutidas.

A alimentação baseada em plantas pode ser saborosa, mas será acessível?
Às vezes ela é apontada como elitista, somente acessível a famílias de renda média ou alta. Admitindo que isso possa acontecer aqui e acolá, você certamente conseguirá vislumbrar formas cooperativas de abastecimento a custos acessíveis. Uma delas é a aquisição direta junto a pequenos produtores trabalhando em regime familiar ou em cooperativa. Os consumidores podem financiar a produção com o compromisso de o produtor entregar no domicílio do consumidor uma cesta semanal de conteúdo previamente combinado. Ganham os produtores e ganha o consumidor que recebe em casa uma cesta de frutas e verduras frescas, orgânicas, sem o encarecimento pelo serviço de distribuição ou dos custos dos atravessadores.

Descubra famílias produtoras perto de seu local de residência. Descubra amigos ou famílias vizinhas que adeririam a esquemas desse tipo. Experimente. Quem sabe você um dia não poderá testemunhar com seu depoimento, a sua experiência e assim ajudar a disseminar essa prática, para o bem pessoal de muita a gente, produzindo mais saúde, um ambiente social mais colaborativo e um planeta mais saudável.


Lembre-se que servir ao próximo também é um grande remédio que te ajuda na recuperação de muitas doenças. Depois que você se recuperar, passe a cuidar de quem está do seu lado, seu vizinho. É isso que queremos compartilhar com você.

Encontre no site da Seed4Life as combinações dos seis sabores, receitas de pratos saborosos, formas de preparo para agradar ao paladar, as técnicas de cozimento que preservam os nutrientes.

 

https://seed4life.com.br/blog/importancia-do-sabor-dos-pratos-5 

Carta aos Amigos

 

Carta aos amigos

Dirijo-me a você, querido amigo, para apresentar a nova página da plataforma Seed4Life, à que chamamos de Blog...

Outros posts do blog

Blog # 34
Escrito por Seed4Life, em 03/08/2021 - 09:00
# 33
Escrito por Seed4Life, em 18/05/2021 - 13:00
# 30
Escrito por Seed4Life, em 23/04/2021 - 16:00
# 29
Escrito por Seed4Life, em 14/04/2021 - 15:00